Agência de Mineração alerta para risco de novos rompimentos de barragens em Minas Gerais

0
101


A Agência Nacional de Mineração (ANM) pediu neste sábado que as empresas que possuem barragens de mineração em Minas Gerais redobrem a atenção e o monitoramento das estruturas neste final de semana. O motivo é a previsão de chuvas fortes no estado, acima de 50 mm.

Minas Gerais concentra as barragens em situação mais crítica do país. São três estruturas no nível de emergência três, o mais elevado: Forquilha III, em Itabirito, e Sul Superior, em Barão de Cocais, ambas da Vale, e B3/B4, em Nova Lima, da MBR Paraopeba. As empresas ainda não se manifestaram sobre o alerta da ANM.

Em julho, em resposta a uma reportagem da Repórter Brasil, a Vale afirmou que “decidiu construir três barreiras de contenção nas Zonas de Autossalvamento das barragens em nível 3 de emergência”. Segundo a mineradora, as barreiras seriam “capazes de reter todo o material dessas estruturas na eventualidade extrema de rompimento”.

As três barragens usam o método de alteamento a montante, o mesmo da B1 da Mina Córrego do Feijão, que rompeu em Brumadinho em 25 de janeiro de 2020, deixando 270 mortos.

“A ANM pede que as equipes de segurança de barragens se mantenham em alerta com monitoramento diário das condições das estruturas – em especial do estado de conservação – além de manter atenção especial às tomadas d’agua dos vertedouros, para garantir a capacidade vertente de acordo com o projeto, durante todo o período de chuvas”, diz o comunicado da agência.

Ainda segundo a ANM, “em caso de qualquer situação de anormalidade, o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) deverá ser acionado”.

Via Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui