Santa Filomena-PE: A corrida por meteoritos no sertão nordestino

0
107

No semiárido pernambucano, Santa Filomena, cidade de 14 mil habitantes, foi atingida por uma chuva de meteoritos. O fenômeno atraiu pesquisadores e até caçadores de diversas partes do mundo – as pedras valem até R$ 40 por grama.

No semiárido pernambucano, onde pouco chove, o município de Santa Filomena, a mais de 600 km de Recife, viu cair pedras do céu. Era chuva, mas de meteoritos.

Fragmentos do espaço, que podem ser mais antigos do que a própria Terra, surpreenderam a população de 14 mil habitantes e atraíram pesquisadores e caçadores de diversas partes do mundo.

Todos em perseguição às pedras, que valem muito dos pontos de vista científico (dada suas composições químicas singulares) e financeiro (o valor do grama chegou a ser comercializado por R$ 40 – e uma das rochas pesa 38 kg).

Neste episódio, Márcio Gomes conversa com a repórter do G1 Lais Modelli, que revelou a história da corrida pelas pedras e os problemas jurídicos para definir quem são os donos legais dos meteoritos. Em sua apuração, Lais falou com moradores, pesquisadores, caçadores e autoridades – recebeu telefonema até do ministro Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia e Inovações.

Participa também o astrônomo Antônio Carlos Miranda, professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, que luta para manter os meteoritos em Santa Filomena e desenvolver um polo científico na cidade.

Via G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui